#Projeto #EmagrecereEngravidar Cap 1 - A decisão



No vídeo conto um pouco da minha estória!
De fato hoje começo a Saga #EmagrecereEngravidar

Sigam meu instagram @martikavictor 
 
ou minha fan page para ficar por dentro de tudo que ando fazendo para realizar minha meta!


APERTA O PLAY




I Samuel 1

1. Havia um homem de Ramataim, um sufita da região montanhosa de Efraim, que se chamava Elcana, filho de Jeroam, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Suf. Era um efraimita.
2. Elcana tinha duas mulheres: uma chamava-se Ana e a outra Fenena. Fenena tinha filhos; Ana, porém, não tinha nenhum.
3. Todos os anos, Elcana subia da sua cidade a Silo, a fim de adorar e oferecer sacrifícios a Javé dos exércitos. Em Silo, estavam Hofni e Fineias, os dois filhos de Eli, que eram sacerdotes de Javé.
4. No dia em que oferecia sacrifícios, Elcana dava porções à sua mulher Fenena e aos seus filhos e filhas.
5. Embora tivesse maior amor por Ana, Elcana dava-lhe apenas uma porção, porque Javé a tornara estéril.
6. Com humilhações, Fenena irritava Ana, a quem Javé tinha deixado estéril.
7. Isso acontecia todos os anos; e sempre que subiam ao santuário de Javé, Fenena ofendia Ana. E Ana começava a chorar e ficava sem comer.
8. Elcana, seu marido, perguntava-lhe: «Ana, porque choras e porque não comes nada? Porque estás triste? Não sou melhor para ti do que dez filhos?»
9. Depois de terem comido e bebido em Silo, Ana levantou-se e apresentou-se diante de Javé. O sacerdote Eli estava sentado na sua cadeira junto à porta do santuário de Javé.
10. Cheia de amargura, Ana rezou a Javé, chorou muito,
11. e fez uma promessa, dizendo: «Javé dos exércitos, se quiseres prestar atenção à miséria da tua serva e Te lembrares de mim, e não Te esqueceres da tua serva, e lhe deres um filho varão, então eu o consagrarei a Javé por todos os dias da sua vida, e a navalha não passará sobre a sua cabeça».
12. Como Ana continuasse a rezar a Javé, Eli observava o movimento dos seus lábios.
13. Ana apenas murmurava: os seus lábios moviam-se, mas não se conseguia ouvir o que ela dizia. Por isso, Eli pensou que ela estivesse embriagada.
14. Então Eli perguntou: «Até quando vais ficar embriagada? Acaba primeiro com essa bebedeira!»
15. Ana, porém, respondeu: «Não, meu senhor. Eu sou uma mulher que sofre; não bebi vinho, nem bebida forte. Eu estava apenas a desabafar diante de Javé.
16. Não penses que esta tua serva seja vadia. Falei até agora, porque estou muito triste e aflita».
17. Então Eli disse-lhe: «Vai em paz. Que o Deus de Israel te conceda o que Lhe pediste».
18. Ana respondeu: «Que esta tua serva possa encontrar sempre o teu favor». Ana foi-se embora, comeu, e já não parecia a mesma de antes.
19. Levantaram-se de madrugada, adoraram a Javé e voltaram para casa. Chegando a Ramá, Elcana uniu-se à sua mulher Ana, e Javé lembrou-Se dela.
20. Ana ficou grávida e, no devido tempo, deu à luz um filho, ao qual pôs o nome de Samuel, dizendo: «Eu pedi-o a Javé».
Topo