Bate-papo: Até onde nossa vida pessoal deve ser exposta na virtual?

Assistindo um vídeo de uma blogueira "guru" , fiquei emocionada com seu sofrimento.

No vídeo ela fala da infância difícil e  nada convencional relação com o pai.
Fiquei emocionada apesar dela demonstrar que aquele assunto em nada estava lhe agradando.

Na mesma hora lembrei de mim que cerda de 10 dias levei uma crítica absurda de uma pessoa no Facebook.

A conversa começou:
 -Deixou de ser minha amiga no Facebook?
Eu respondi : - ????
Afinal não entendi, pois, gosto da pessoa e jamais a deletaria.
Após as interrogações veio a indelicadeza;
-Não sabe ler?

Por um instante eu pensei: Posso dar continuidade a esse bate-boca ou posso simplesmente achar que ela não estava em um dia bom. Essa foi minha opção.
Em seguida veio outra frase: " pessoas que queixam-se de tudo e todos até de seu antes queridos, devemos esperar com a gente também."

Bingo!!!
 Usou um desabafo meu, o guardou e na hora certa/errada, jogou a crítica!
Tudo o que está ali é para ser visto por alguém. As outras pessoas podem usar suas informações do jeito que acharem melhor e você não tem o menor controle sobre isso.

É muito difícil separar o que realmente nós somos daquilo que as pessoas pensam que seríamos.
E se colocar no lugar do outro para entender o que se passa...xiiii são raras as pessoas que tem esse dom.
Geralmente, tendemos a ir julgar muito antes de qualquer análise. 
Mas, de quem é a culpa das pessoas chegarem  e darem palpites sobre nossa vida sem saber nada dela?
Nós!
As vezes temos vontade sim de desabafar, ainda mais se somos solitários, se temos poucos amigos, se confiamos demais. Mas de verdade: Aprendi a viver minhas dores e angústias sozinha e quero muito que você aprenda também.
O controle de nossas ações, do que falamos, filtrar o que ouvimos é uma tarefa diária! 
Mas as pessoas só vão machucá-la ou machucá-lo se você permitir!


Relações de amizades verdadeiras e admiráveis realmente existem.

Mas a Linha do tempo do Facebook não pode ser divã! Muito menos um espaço onde se  possa derramar tudo que pensamos e passamos em nossas vidas. Sempre, sempre haverá uma má interpretação e isso é muito perigoso.

A ARTE DA GUERRA- O PODER DA INFORMAÇÃO
Aprendi isso tarde demais? Mas pelo menos aprendi!
Me arrependi muito, pois quebrei muito muito a cara em falar demais.  E lembrem-se: Falar o que pensa nem sempre é autenticidade na maioria das vezes é indelicadeza e falta de educação.
E principalmente, sempre repito isso: Há uma diferença absurda entre pessoas que se importam daquelas que só querem saber da sua vida!
O ideal é não falarmos nada  no que se refira a ser íntimo e pessoal!
Se confia em alguém, use o "in box!" Mas se realmente confiar! Direcione suas publicações, para a prática do bem. Piadas, frases e pensamentos reflexivos e motivadores sempre agradam. Divida somente o necessário, poupe as palavras. Após esse exercício, já não sentirá falta para tanto desabado, pois sua energia se direcionou para o positivo!

Voltando a "guru"

No vídeo ela está visivelmente incomodada, mas a necessidade de falar é bem maior.
Me questiono: Até onde devemos dar satisfação? O que as pessoas fazem com essa informação?
 Era realmente as leitoras que queriam saber ou a necessidade de remexer no baú das emoções. Nunca saberemos?
Por experiência própria, todas minhas dores que derramei aqui no blog ou  no Face, apenas uma minoria entendeu ser dor, outra maioria acha frescura, outra dramalhão.
O poder de expor sua vida está na sua forma de ser e agir. Não tem pra onde correr!
 O falar demais  na maioria das veze, é da personalidade, de família, de momentos de angústia ou de extrema alegria.  Busquem, busquem o equilíbrio o quanto antes.
Pense antes de postar. Pense antes de se expor. 
O cyberbullying também pode ser resultado do seu modo irresponsável de usar a internet.

O que aprendi na minha relação com o Facebook?

Expor demais sua vida nas redes sociais não é uma boa ideia. Mas isolar-se completamente e apagar sua vida online tampouco é a resposta, afinal, todos estão por lá: amigos, vizinhos, parentes e colegas de profissão. Ter uma vida social “virtual”, é quase inevitável e provavelmente desejável. Sem falar na vida profissional, já que as redes sociais são cada vez mais usadas para manter o networking em dia.
A autocensura, claro, é opcional. Há quem argumente que seu perfil online é sua vida pessoal, e que por isso tem o direito de dizer o que quer. É verdade. Mas pensar duas vezes antes de falar sempre foi um bom conselho, e não é diferente na internet. 


Tudo o que você disser pode e será usado contra você
Tenha controle sobre as redes sociais. Não deixe que elas controlem você. Esse é o maior desafio. Hoje elas viraram um vício, pois fazem você se sentir uma pessoa amada e ouvida. Mas nem todos que estão lá querem o seu bem. Portanto não seja tão inocente.

Topo